sábado, 18 de outubro de 2014

Entrevistámos a bordadeira Berta Salinas


Berta Salinas é uma jovem madrilena, licenciada em belas artes, que também tirou o curso de cinema e se move entre o meio artístico e audiovisual.
Começou com o desenho e com as gravações, passou pela fotografia e acabou com a agulha na mão, bordando até mais não. Já expôs os seus bordados em galerias de arte de Madrid e criou uma coleção de almofadas feitas e bordadas à mão.
Os motivos dos seus bordados representam o desamor e costuma bordar a anatomia feminina, corações e a natureza. Adorámos o seu trabalho e entrevistámo-la para a conhecer um pouco melhor.


Como e porque começou a bordar?
Foi algo progressivo, o bordado está presente na minha vida há muito tempo. Comecei na escola, onde tínhamos aulas de costura. Ao mesmo tempo em minha casa estava presente em objetos das minhas avós e bisavós. Retomei-o na adolescência, criando pequenas almofadas com motivos bordados, que oferecia. Depois quando estava a estudar Belas Artes, comecei a utilizá-lo nas minhas obras… Surgiu de forma natural, o desenho e as gravações deram lugar ao bordado, o papel converteu-se em tecido e o lápis em fio e agulha.


Como aprendeu?
Aprendi na escola, tínhamos aulas de costura a partir dos 7 anos, acho. Aprendi os pontos mais básicos. Bordávamos desenhos antigos, ainda os recordo.


Que tipo de fios utiliza?
Utilizo quase sempre fio Mouliné. Em geral procuro a subtileza nos meus desenhos bordados, por isso costumo trabalhar com um ou dois cabos.


Quais são os pontos que costuma utilizar mais frequentemente?
Costumo utilizar o ponto de cordão para a linha e o ponto artístico ou indefinido para o preenchimento.


A sua formação é artística… Como é que isso influencia o processo do seu bordado?
Sou muito impaciente, quando começo alguma coisa, por isso os meus esboços são de traço rápido. Comecei a bordar diretamente sobre o tecido nas obras das minhas duas primeiras exposições, “Love songs” e “ Caníbal”. Procurava a espontaneidade e a naturalidade no traço “imperfeito”.
Nos meus projetos seguintes de almofadas bordadas e “Letter” desenhei primeiro sobre o tecido, mas não transfiro o meu esboço. Desenho diretamente, com o mesmo traço descontraído de quando desenho.


Existe alguma outra técnica têxtil que gostasse de aprender?
Estou a aprender tecelagem com lã. Fiz um tear caseiro, sou autodidata e gostava de aprender mais sobre esta técnica.


Atualmente Berta expõe a sua nova coleção de almofadas bordadas intitulada “Be” na conceituada loja Do em Madrid até final de outubro de 2014.

Obrigado Berta! No seu site pode ver a sua obra completa.



Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...