quarta-feira, 29 de março de 2017

Apresentamos Kircum, os bastidores com orelhas


Em parceria com Flo Corretti apresentamos Kircum, os primeiros bastidores com orelhas (urso, coelho e gato) para bordar mas também para emoldurar e pendurar os seus bordados e tecidos preferidos. São de madeira e incluem um cabide metálico e um prego para pendurar na parede.
Também estão disponíveis em miniaturas para que os possa levar consigo para todo o lado. Incluem um cordão e são ideais para usar como colar.
Encontra os novos bastidores com orelhas nas melhores retrosarias do país e na loja DMC online.


Entrevistámos Flo Corretti, a sua criadora para conhecer a mulher por trás deste projeto e como começou o mesmo.


Quem é Flo Corretti?
Flo Corretti é, neste momento, 70% mãe e 30% “tudo o resto”… No entanto sou a mesma de sempre, uma curiosa empedernida que partilha uma carreira profissional no setor editorial universitário com uma constante inquietude criativa. Nunca deixo de experimentar, idealizar, nem mesmo nestes momentos em que o meu tempo é escasso e as minhas olheiras enormes!


Quando e porquê começaste a bordar?
Familiarizei-me com agulhas, tecidos, fios e lãs com as minhas avós e a minha mãe... Mas, sem dúvida, uma pessoa e uma data foram o boom que me levou a bordar: em 2012 conheci Laura Ameba e a sua “Aguja Mágica” e desde então não parei de bordar. Com a prática apaixonei-me por esse “desligar de tudo” que exige o bordado e aprendi a apreciar a concentração que requer para que as coisas saiam bem.
Tive a sorte de frequentar cursos com grandes artistas como Adriana Torres (Miga de Pan), Guillermina Baiguera, Eva Misako ou Srta. Lylo e tenho muitos outros à espera de espaço na minha agenda! Em todos eles aprendi muito mais do que uma série de pontos, que se podem encontrar facilmente na net. Nos cursos partilha-se a experiência, o talento, a personalidade criativa, por isso considero-me uma feliz eterna aprendiz. O meu sonho? Entrar um dia nos ateliês de bordado de alta costura e nas aulas de escolas como École Lesage  e a Royal School of Needlework.


Quando e porquê começaste o projeto Kircum?
Quando comecei a bordar com regularidade, acumulei bastantes bastidores de todos os tipos.  Quando imaginava um desenho para bordar, pensava muitas vezes como o iria emoldurar e utilizar os próprios bastidores era o mais divertido e o mais funcional, porque assim esticava facilmente o tecido. Mas sentia que era uma pena existir a limitação da forma redonda como moldura. Estávamos no ano de 2013 e assim surgiu a ideia.



O projeto continuou só na minha cabeça e nos meus cadernos até um ano mais tarde, quando, passeando pela página de Cuaderno Brillante, um guia de produção local, encontrei o contato de Àngel, de La Capsa de l’Àngel. Expliquei-lhe a minha ideia, interessou-se por ela, fizemos muitas provas e graças à sua perícia conseguimos os primeiros bastidores em 2015.
Registei o desenho industrial e um ano mais tarde, o sonho tornou-se realidade: ver os meus Kircum associados à DMC, chegando a todo o mundo e da melhor maneira possível.



Deixamos o esquema para bordar a cara do ursinho:



Encontra os novos bastidores com orelhas nas melhores retrosarias do país e na loja DMC online.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Desafio Mouliné: Borlas por “Mi Armario Coqueto”


A Cristina do “Mi Armario Coqueto” tem um blogue giríssimo cheio de DIY que nós adoramos e por isso propusemos-lhe participar no Desafio Mouliné. Demos-lhe total liberdade e pedimos-lhe que utilizasse as meadas Mouliné como quisesse exceto para bordar. Porque com fios de bordado se podem fazer imensos projetos!


Estas são as meadas Mouliné que lhe enviámos, há para todos os gostos e estilos!

A Cristina criou um colar e uma grinalda com borlas e explica-nos no seu vídeo como as fazer passo a passo. As borlas estão muito na moda esta estação!


 Veja como fica bonito o colar!


É um projeto fácil de fazer e resulta muito bem! Vai fazê-lo? E o que faria com fios Mouliné que não fosse bordado? Partilhe connosco os seus projetos, colocando a etiqueta #desafiomouline.


Encontra todas as cores do fio Mouliné Spécial nas melhores retrosarias do país e na loja DMC online.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Como ler um modelo gráfico de amigurumi


Os modelos de croché podem ser escritos ou representados graficamente. Estes últimos são especialmente populares no Japão e muito utilizados em esquemas de amigurumi. Neste post explicamos-lhe como ler um modelo gráfico de amigurumi.


Explicação do quadro
No quadro representam-se com letras as peças a realizar, o número de carreiras e o número de pontos de cada carreira.


Símbolos, abreviaturas e esquemas:
Os japoneses representam os pontos de croché com símbolos. A maioria das instruções para realizar amigurumi são explicadas através de esquemas.


Ler um esquema:
Começa-se do centro para o exterior e lê-se uma carreira a seguir à outra, no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio.
Carreira 1 – Há 6 símbolos X, que significam realizar 6 malhas baixas e terminar a carreira com uma malha baixíssima.
Carreira 2 – 1 aumento de 2 malhas baixas (explicamos a seguir) em cada malha da carreira anterior. No total são 12 malhas baixas e termina com 1 malha baixíssima.
Carreira 3 – 1 aumento de 2 malhas baixas, 1 malha baixa, 1 aumento de 2 malhas baixas, 1 malha baixa, etc. Total de 18 malhas e termina com 1 malha baixíssima. Assim sucessivamente seguindo as instruções indicadas em cada esquema do modelo que estamos a realizar. Quando o esquema indicar, devemos começar a diminuir na proporção correspondente.



Se não sabe fazer croché pode aprender aqui com os nossos tutoriais em vídeo!

quarta-feira, 22 de março de 2017

Entrevista a Marion Romain


Entrevistámos a bordadeira francesa Marion Romain para que nos contasse como começou a bordar, como é o seu processo criativo e que conselhos tem para as bordadeiras principiantes.


Quem é a Marion Romain?
Chamo-me Marion e tenho 27 anos. Tenho um blogue desde 2012, um espaço que utilizo para partilhar as minhas criações, as minhas viagens, as minhas descobertas e os meus pequenos prazeres quotidianos. Graças ao blogue aumentei e aperfeiçoei os meus projetos criativos.
Atualmente um dos meus sonhos é abrir uma loja online para no futuro poder viver das minhas criações. Se misturar as letras do meu nome, vai obter “Romain”, foi assim que escolhi o meu nome artístico.


Quando começou a bordar e como aprendeu?
O bordado é algo muito presente na Bretanha, a minha região natal. Sempre admirei os maravilhosos vestidos tradicionais bretões com os seus bordados. A minha mãe bordava extraordinariamente bem quando era jovem, foi algo que esteve sempre à minha frente e que só recentemente descobri. Há dois anos visitei uma exposição do bordador Pascoal Jaouen na sua escola de bordado em Quimper. Participei num desses cursos que me ajudou muito, apesar de que dois anos mais tarde tenho vergonha de não ter terminado o bordado de flores que me tinha proposto fazer. Por fim aprendi muito de forma autodidata com a prática.


O que a inspira?
Inspiram-me as coisas do quotidiano. Desde um filme ou uma série de TV até um cão que corre na praia, os motivos duma echarpe, as estações do ano, o meu gato... Para além disso sou uma fã incondicional das tapeçarias inglesas e da estética do desporto dos anos 20 aos anos 50.


Pode explicar-nos o seu processo criativo quando borda?
Começa tudo com um desenho. Desenho diretamente sobre o tecido com uma caneta solúvel em água.
Atualmente ando bastante obcecada com os cães, porque me permitem brincar com a cumplicidade entre o homem e o animal. Tento sempre contar uma história nos meus bordados. Experimentei coisas muito diferentes nestes dois anos, mas agora sei que preciso de coisas vivas que não sejam motivos puramente decorativos.


Também me esforço por trabalhar com texturas para enriquecer os meus bordados. Acho muito interessante bordar roupa, porque é um terreno sem limites (tipos de pontos de malha de inverno, motivos de xadrez...). Tento sempre alternar os espaços vazios e os espaços bordados. Nunca coloco cor na cara dos meus personagens, gosto que se vejam bocados da tela, como um bordado que respira...

Qual é o seu ponto de bordado favorito?
Provavelmente os pontos mais fáceis como o ponto pé de flor. É o ponto que mais se aproxima do traço do lápis, parece-me. Utilizo-o em todos os meus bordados para traçar o contorno dos meus personagens. Não que procure novas técnicas ou pontos de bordado, estou satisfeita com os pontos básicos. Algumas vezes apetece-me inovar e aí procuro na internet alguma coisa original. Recentemente adorei utilizar o ponto pompom para acabar o bordado dum gorro.


Que tipo de fio utiliza?
Utilizo o Mouliné de 6 cabos da DMC. Para coisas muito finas como contornos utilizo 1 ou 2 cabos e para preencher coloco mais cabos.


Tem algum conselho para as bordadeiras principiantes?
Aconselho que não tenham medo de começar, que os pontos mais básicos já oferecem uma infinidade de possibilidades. Para começar podem aprender o ponto de nó e o ponto lançado. A seguir acrescentem o ponto de cadeia, o ponto de margarida ... e muitos mais!


Também gostava de lhes sugerir que façam os seus próprios desenhos para criar confiança, mesmo que achem que não sabem desenhar. O pior que pode acontecer é os desenhos parecerem de uma criança, mas o que há mais bonito que o desenho de uma criança?


Se tivesse que definir os seus bordados, como o faria?
É uma pergunta complicada, já que tenho menos a sensação de estar a bordar do que de estar a desenhar. O bordado para mim é um meio. O bordado é desenho.


Muito obrigada Marion! 


Se gostou dos bordados da Marion, pode segui-la no facebook, instagram ou no seu blog.

domingo, 19 de março de 2017

Viagem pela Europa com a DMC – Moscovo

A nossa viagem pela Europa continua e em março viemos visitar Moscovo!  A Catedral de São Basílio é um templo ortodoxo construído no séc. XVI, situado na Praça Vermelha e desde 1990 faz parte do Património da Humanidade da Unesco.


Em abril vamos visitar Londres. Se quiser bordar mês a mês a nossa viagem pela Europa e viajar connosco nesta expedição bordada, pode começar pelo 1º esquema de Amesterdão aqui. Todos os meses aqui no blogue publicamos um esquema para ir completando a viagem.

Cruz a cruz e mês a mês borde connosco uma cidade europeia para completar o quadro de 12 cidades: Amesterdão, Copenhaga, Moscovo, Londres, Bruxelas, Berlim, Paris, Berna, Viena, Lisboa, Madrid e Roma.

Pode utilizar o tecido que quiser. Se usar tela Aida de 5,5 pts./cm, o quadro terminado terá as medidas 28 x 40 cm de bordado mais a margem desejada para a moldura. O número total de quadrados para calcular a medida final é 155x220 pontos. Recomendamos a utilização de tela Aida de cor branco ou cru para que se notem perfeitamente os tons ocres e suaves. Veja aqui todas as telas disponíveis.

Aprenda a bordar ponto de cruz aqui com o passo a passo. É muito fácil!


Partilhe a sua viagem pela Europa nas redes sociais com a etiqueta #viagempelaeuropacomadmc



quinta-feira, 16 de março de 2017

Coleção Teddydou para bebé

A DMC apresenta a coleção TEDDYDOU, acessórios para bebé com o motivo de ursinhos, um tema intemporal com o amigo de sempre do bebé, em tecido de algodão estampado exclusivo DMC de cores quentes: branco sujo, bege, cru, castanho, vermelho e cor-de-vinho.


Todo um universo para descobrir: peluches, babetes, necessaires, porta-documentos, suaves toalhas de banho, bolsas organizadoras...
A nova coleção da DMC para bebé é composta por 21 produtos decorados com histórias de ursos.  Para além dos acessórios clássicos e dos quadros com estes motivos existe um doudou, um peluche e uma mochila urso, pensando no brinquedo que o bebé vai querer abraçar. Todos os produtos são acompanhados por um esquema para mais ideias criativas.

Os acessórios para bebé da coleção Teddydou



Estes produtos para bordar em ponto de cruz foram realizados pelos nossos criativos com tecidos exclusivos criados e imaginados pela DMC.

Os produtos para acalmar o bebé da coleção Teddydou



 

Os produtos para decorar da coleção Teddydou


Abecedário Teddydou em ponto de cruz sobre tela Aida cor 712 de 5,5 pts/cm


Sugestão de apresentação: painel decorativo para o quarto do bebé

Minikits Teddydou em ponto de cruz sobre tela Aida cor 712 de 5,5 pts/cm


Sugestão de apresentação: ideia decorativa com bastidores

Minikits Teddydou para realizar em bordado tradicional (ponto atrás, ponto de nó, ponto lançado) sobre tela pré-impressa com fios Mouliné Spécial e Coloris incluídos.


Sugestão de apresentação: bordado aplicado numa bolsa para peluches

Kit “Viagem do Teddydou” para bordar em ponto pé de flor seguindo o pontilhado. Tela pré-impressa com fios Mouliné Spécial e Coloris incluídos.


Kit metro Teddydou para bordar em ponto pé de flor seguindo o pontilhado sobre tela pré-impressa.

Descubra todos os produtos da coleção TEDDYDOU nas melhores retrosarias do país e na loja DMC online.


segunda-feira, 13 de março de 2017

Tutorial Gola de conchas em croché com Cocoon


As golas são, sem dúvida, o acessório sensação deste inverno. Suaves, quentes e confortáveis, tanto servem para proteger do frio como para realçar uma peça de roupa.
A nossa proposta de hoje é uma gola em croché realizada com Cocoon, a nossa lã super grossa em 8 cores à sua disposição para escolher a que mais gosta. Uma peça rápida e moderna, perfeita tanto para principiantes como para especialistas em croché.


Aconselhamos a leitura cuidadosa das instruções antes de começar o trabalho. Use o esquema como guia adicional. Pode realizar a gola numa outra cor Cocoon à sua escolha.

Nível: Principiante

Materiais:
1 novelo Cocoon – cor 07 blue
Agulha de croché nº 20
Agulha de coser lã

Medidas (aproximadas):
108 cm comprimento x 32 cm largura

Pontos utilizados:
Ponto de cordão
Malha baixíssima
Malha baixa
Malha alta dupla

Realização:
A gola é trabalhada em carreiras. No final cosa o botão, vai permitir fechar a gola de frente ou de lado, como desejar.

Monte 15 malhas deixando a tensão do fio um pouco solta.

Carreira 1 – Faça 1 malha de cordão, 1 malha baixa em cada malha de cordão, volte. (Fica com 15 malhas)
Carreira 2 – Faça 1 malha de cordão, 1 malha baixa na parte de trás de cada malha da carreira anterior, volte. (Fica com 15 malhas)
Carreiras 3 a 9 – Repita a carreira 2.

Deixando o fio por rematar, faça 4 conchas numa das laterais da gola.

Carreira de remate: Faça 1 malha de cordão, *deixe 1 malha por trabalhar, faça 5 malhas altas duplas na mesma malha seguinte, deixe uma malha por trabalhar, 1 malha baixíssima na malha seguinte*, repita mais 3 vezes e termine com 1 malha baixíssima na malha final. (Fica com 4 conchas)
Trabalhe à volta do canto, 3 malhas de cordão, 1 malha baixíssima na mesma malha, deixe 1 malha sem trabalhar, *3 malhas de cordão, 1 malha baixíssima na mesma malha, deixe 1 malha sem trabalhar*, repita de *a* a toda a volta da gola e na outra lateral.
Corte e remate o fio.

Acabamento:
Esconda todos os fios.
Remate todo o trabalho.
Com a agulha de coser lã e algum fio Cocoon, cosa o botão na gola.

Cocoon está à sua disposição nas melhores retrosarias do país e na loja DMC online.
    
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...