domingo, 27 de maio de 2012

Entrevista a Anna de Mochi Mochi: Um mundo de fantasia tricotado


Entrevistámos a Anna, a designer e criadora de Mochi Mochi Land, um mundo de personagens tricotados, que também já publicou vários livros e apresenta no seu currículo várias exposições de arte em todo o mundo.
O que começou como um hobby, rapidamente se transformou na sua forma de vida.
Foi bastante amável em responder a algumas questões, para que possamos conhecer um pouco mais sobre o seu projeto:


Quando e porquê começou a tricotar, quem a ensinou?
Aprendi a fazer malha na escola, quando fiz um intercâmbio e fui viver para o Japão. Tinha duas colegas e uma delas ensinou-me a tricotar um cachecol. Foi a primeira técnica que aprendi que exigia alguma paciência.


A maioria do seu trabalho é em tricô. Já experimentou fazer croché, gosta?
Aprendi a fazer croché de forma autodidata graças a um livro alguns anos após começar a tricotar. Fiz algumas coisas em croché (como por exemplo o meu gorro favorito, que ainda uso) e gosto muito, mas quando aprendi já me sentia uma fã das duas agulhas e já não havia volta atrás.
Quando comecei a fazer bonecos em tricô há 6 anos, pensei que era um projeto divertido para os meus tempos livres. Algo que iria deixar quando me fartasse. Mas ainda não me fartei, de fato adoro e continuo a descobrir coisas novas para experimentar e explorar.


É a Anna que desenha os modelos, como começa?
Desenho tudo o que faço. Começo com um esboço de uma personagem. Se for grande, faço uma estimativa das medidas que quero que tenha. Basicamente uso formas muito simples, assim geralmente faço um modelo simples. Depois de começar a tricotar, vou fazendo alguns ajustes. Às vezes chego a começar de novo várias vezes, mas a maioria dos meus trabalhos são relativamente pequenos, assim não é muito frustrante começar de novo.


Já vimos alguns dos seus trabalhos em ponto de cruz, é um hobby antigo ou continua a bordar?
Infelizmente há muito tempo que não bordo em ponto de cruz! Crio desenhos de ponto de cruz apenas quando tenho uma ideia que me emociona muito e tenho de a pôr em prática. No entanto o meu cérebro tende a criar desenhos em três dimensões, como personagens suaves e meigas. Mas espero realmente fazer mais desenhos em ponto de cruz, quando me chegar a inspiração.


É já muito habitual ver figuras tridimensionais em croché, mas em tricô é muito raro, como os que faz. Conhece outros artistas que trabalhem esta técnica para fazer bonecos?
Existem alguns artistas que criam figuras tridimensionais em tricô, que descobri já depois de começar a fazê-lo. Uma das que mais admiro é Donna Wilson, uma designer inglesa que cose, tricota e há alguns anos publicou um livro com vários modelos de tricô para fazer bonecos.


Existe alguma técnica que gostaria de aprender?
Não estou segura de que técnica gostaria especificamente de aprender, mas quero juntar mais estampados e cores aos meus projetos.


Qual é o seu próximo projeto?
Em setembro será publicado o meu novo livro “Super-Scary Mochimochi” com monstros e outras personagens medonhas, mas muito giras! Também tenho vários projetos de desenho e arte às voltas na minha cabeça para o futuro.


Vive em Nova Iorque, o croché e o tricô são importantes aí?
Há imensas pessoas que fazem tricô e croché em Nova Iorque e também imensos eventos, onde se juntam e aprendem novas técnicas. Vê-se habitualmente gente a tricotar no metro e as pessoas são bastante abertas a falar sobre o que estão a fazer com desconhecidos. É muito bonito!



Obrigado Anna por responder a estas questões e nos mostrar os seus trabalhos. Poderá ver mais aqui.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...