quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Visita à fábrica da DMC


Em 1746 a DMC começou a fabricar tecidos em Mulhouse, uma pequena cidade da Alsácia, no leste de França. Em 1841 iniciou a produção de linhas para bordar e coser e actualmente continua a fabricar milhares de metros todos os dias na fábrica francesa.
Fizemos uma visita à fábrica para que possa ver todo o processo, desde a chegada do fio de algodão em bruto, passando pela mercerização, tintura, secagem e por fim a realização de meadas e embalamento.




 Primeiro chega o algodão em bruto, que é polido, sendo queimados todos os fiozinhos excedentes, que possa ter. 


De seguida em grandes bobines, juntam-se os 6 cabos para poder realizar o fio.


Aqui separa-se o fio em grandes meadas para poder trabalhar facilmente.


Uma vez preparado, polido e ordenado, passa à fase seguinte, a famosa “mercerização”. É um processo que modifica a fibra de algodão através do tratamento de hidróxido de sódio.
Este faz com que os fios sejam suaves, brilhantes e mais resistentes à tensão.


O fio é submerso por vários períodos de tempo num máximo de 10 minutos.


Agora já está preparado para a fase seguinte: a tintura.


Na zona da tintura existem umas panelas grandes, onde se prepara a cor e numas máquinas gigantes, que parecem máquinas de lavar, tinge-se o fio.



Uma vez colorido, o fio deverá secar bem!


Estes secadores gigantes iniciam o processo da secagem, no entanto os fios vão estar ainda mais 2 dias a secar ao ar.



Uma vez secos são embalados e armazenados para passar à fase seguinte.

Como sabe as tinturas nunca são exactamente iguais. Existe uma muito ligeira diferença. Num armário trancado e protegido da luz armazenam-se todas as amostras de cores ordenadas por datas.




Estas amostras conservam-se durante 30 anos ou o máximo tempo possível.


Aqui volta-se a enrolar o fio já tingido e seco para posterior manuseamento.



O fio, que não passa nos testes de controlo de qualidade, é prensado e eliminado.

Agora vem o processo para realizar os novelos e as meadas, etiquetar e embalar. Existem máquinas muito modernas, que realizam todas as tarefas, sempre sob a supervisão de vários trabalhadores.

Aqui pode ver como se faz um novelo de algodão Perlé.


Depois passam por outra máquina para serem empacotados. 





Os fios já estão prontos para serem distribuídos por todo o mundo.
Se gostou da reportagem, poderá ver muito mais fotos aqui.

A família Dollfus criou esta fábrica há muitos anos, tendo sido pioneira na introdução de melhorias sociais para os seus empregados. Foram construídas casas para todos os trabalhadores e um refeitório rodeado de árvores e relva, onde todos almoçavam e se organizavam piqueniques na Primavera. 


A fábrica utiliza água de Alsácia, muito pura e cristalina, que ajuda a que as cores se fixem melhor e sejam mais brilhantes. É por esta razão que nunca se mudou de sítio e não se poderá fabricar noutro lugar com a mesma qualidade. Ao lado há um tanque com água residual, que esteve sempre cheio de plantas, flores e milhares de peixes. Era uma forma natural de controlar se a água estava bem e sem poluição.

Esperamos que tenha gostado desta reportagem e se alguma vez for a Mulhouse, não hesite em passar à frente da DMC!

4 comentários:

  1. Este post é simplesmente magnifico! E cá em casa foi muito didático, pois li-o conjuntamente com o meu filho Miguel que tem 4 anos e percebeu como eram feitas as linhas que a mãe usa cá em casa!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...